Total de visualizações de página

domingo, 26 de fevereiro de 2017

SOBRE O PENSADOR E O PENSAMENTO, AS PESSOAS, AS MÁSCARAS E O CARNAVAL*By Ana Sofia Carvalho





SOBRE O PENSADOR E O PENSAMENTO, AS PESSOAS, AS MÁSCARAS E O CARNAVAL

Pergunta-me o facebook em que estou a pensar. Não posso dizer.
Não por impossibilidade ontológica, ou pudor, ou qualquer outra razão do foro íntimo, mas por absoluta inexequibilidade, por impossibilidade física ou fáctica.


Como pôr em palavras um atropelo de pensamentos? Um choque em cadeia sobre diversas coisas, algumas contraditórias sobre o mesmo assunto, outras sobre temas completamente diferentes? Uma sucessão de reflexões que nada tem de lógica, sequer uma ordem perceptível, cujo denominador em comum é somente a identidade do pensador?

O pensador, por muito abstractas que sejam as coisas em que pensa, por muito distanciamento que consiga ter em relação às mesmas - pois, nalguns casos, só ele garante a necessária objectividade - manifesta-se sempre no objecto do seu raciocínio, e desde logo, na escolha desse objecto.
Pois é; o pensamento é do pensador, mas o pensador também é do pensamento, possuem-se e revelam-se mutuamente.

Assim é também com as pessoas. Elas não são unívocas, unidimensionais, permanentemente coerentes e lineares. As pessoas são, por natureza, o contrário disso, contraditórias, emocionais e racionais, ponderadas e instintivas, alguma coisa e o seu contrário.
E por muito que existam pessoas capazes de controlar essa tendência imanente para a contradição, por muito que o lado racional se sobreponha ao lado emocional, intuitivo e espontâneo, a verdade é que está sempre presente. E é isso que faz das pessoas, todas elas, seres maravilhosamente complexos: a sua heterogeneidade, donde deriva a sua capacidade de surpreender os outros e a si mesmas.
(...)

Bem, afinal, acabei por dizer ( mais ou menos) aquilo em que estava a pensar. Aí têm.

E já que estamos em época de Carnaval, aproveitemos para darmos largas aos nossos íntimos anseios, para expressarmos os nossos afectos, para verbalizarmos as coisas que as rotinas e responsabilidades do dia-a-dia nos fazem calar.
Porque afinal, máscaras usamos sempre, todos os dias, tenhamos ou não consciência disso.
Bom Carnaval!

ASC
( direitos reservados)

Tie-break

Chegamos ao destino já no final de um dia de muito calor. De cara já percebi certo aspecto medieval na região.
Maria Luiza que dominava espanhol e se aventurava no inglês se encarregava de pedir informações. De Francês nenhuma palavra. Nem ela nem eu.
            A ideia era vencer o percurso em trinta dias. Mas já no primeiro dia de caminhada sentimos que seria preciso muita resistência para buscar este objetivo.
            À medida que subíamos em relação ao nível do mar parecia que ficava mais cansativo.
            Eu olhava para a Malu, e lembrava-me dela reclamando do ponto que eu perdi no tie-break da final do campeonato de vôlei da liga.
            Há muito nos tornamos amigos.
            E nesta condição viajamos juntos. Mas nunca deixei de ter uma forte atração por ela.
            Morena alta, cabelos longos, olhos claros e com a pele bronzeada chamava ainda mais minha atenção.
            Falávamos para todos que éramos irmãos para facilitar as coisas. E, convenientemente nos comportávamos.
            Encontramos, naturalmente, gente de todas as partes do mundo.
            A cada um dávamos a atenção possível. Era meio desconfortável ver as insinuações e os olhares pra cima da Malu. Mas ela sempre foi desenvolta e tirava até uma onda com os mais abusados.
            Mulher decidida, bem resolvida, sabia que estávamos ali para fazer o percurso que dois anos antes começamos a planejar. Jogávamos na mesma equipe e trabalhávamos na mesma empresa isso tornou possível este planejamento sem muitos atropelos. Negociamos férias no mesmo mês. Verdade que não foi fácil à negociação, pois o setor ficou meio desguarnecido nestes dias.
            Agora ali, vendo as paisagens lindas, apoiado pelo cajado e suportando a mochila nas costas estávamos felizes. Nestas horas percebe-se que dá pra viver apenas com o essencial. Era o que carregávamos nas mochilas, pois quanto mais leves melhor se suporta. Questão de resistência mesmo.
Terrível são as bolhas que se formam nos pés.       
Tínhamos esta informação e tomamos todos os cuidados, mas ainda assim não conseguimos evitar. O jeito era medicar sempre que estávamos nos albergues. Aliás, ficávamos nos públicos por uma questão de custos. Ainda assim eram melhores do que se podia imaginar. A diversidade de cultura acaba ajudando na aceitação de situações diferentes a cada dia, a cada hospedagem, a cada conversa. Tudo muito diverso que chega a encantar. É preciso despir-se de valores preconcebidos para poder entender a grandeza deste momento que também é cultural.
Tinha dias que eu via a Malu meio cansada. Olhar contemplativo. Olheiras enormes, contudo sempre bem humorada. Ela conseguia me manter equilibrado emocionalmente. Um feito para poucos em situações assim.
            O mais interessante é que a cada momento eu me sentia mais atraído por ela. Às vezes parecia que ela também estava gostando um pouco mais do que só estar comigo e da minha companhia. Por outro lado a insegurança me impedia de tentar qualquer aproximação amorosa. Afinal éramos amigos que agora se apresentavam como irmãos. Uma coisa meio embaraçosa.
            No final do primeiro dia, em St Jean, ela tinha me dado um beijo no rosto que me marcou muito. Era um agradecimento por estarmos ali. Uma retribuição pelo carinho e atenção que eu dedicava a ela nesta viagem.
            Mas confesso: Não esqueci o beijo.
            O perfume dela me enchia de desejos. Mas nunca externei. Melhor não colocar em risco tudo o que projetamos curtir.
            Trinta e cinco dias e oitocentos quilômetros depois, emagrecidos e meio exausto, finalmente avistamos a chegada. A ansiedade que aumentava a cada dia, ficou ainda maior.
            Foram incontáveis passos irmanados nestes dias. Visivelmente emocionada, Malu se aproximou e estendeu-me os braços e eu perguntei a ela com lágrimas nos olhos e voz embargada:
            Quanto vale a realização deste sonho?
            Emocionada ela me abraçou e respondeu:
- Não sei, mas muito mais do que o ponto que você desperdiçou no tie-break.
            Risos e choros se misturaram. Ela me apertava cada vez mais forte e gostosamente senti um arrepio percorrendo o meu corpo todo.
Inesperadamente beijou-me.
            Foi apenas o primeiro, mas entendi que valeu a pena cada metro feito no cansativo caminho de Santiago de Compostela.

Moacir Luís Araldi -  Do livro Interlúdios. (Este texto foi, também, escolhido pelo Projeto Passo Fundo para participar da Coletânea 2015)

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

A revolução técnico-científica e o homem robotizado (humor)* by Arnaldo Leodegário Pereira




A revolução técnico-científica e o homem robotizado (humor)

 A terceira revolução industrial, que se encontra em andamento e deverá atingir seu maior desenvolvimento no transcorrer do século XXI, iniciou-se no final dos anos 70. Ela é marcada pela substituição do petróleo, por outras fontes de energia: hidrogênio, solar, e de origem biotecnológica etc. Por novos setores de vanguarda: a informática, a robótica, a biotecnologia, as telecomunicações, a microeletrônica e outros. ... E hoje o homem é meio humano, e 100% robô. ... Você sabe o que é humandróide? ... Eu explico!!! É a mistura de homem + andróide! Um ser que é meio homem e meio robô. ... Somos um pouco andróides!!! Hoje o homem tem coração de silício, memória digital, e braço robotizado. Tem perna mecânica, movida a estímulos, e cérebro computadorizado. Também podemos ter rins artificiais, e fígado transplantado. Tem olho de vidro, ouvido biônico, e dente de resina acrílica. ... Já existe coração artificial, orelha artesanal, e pulmão modificado. Já é possível à medicina, coisas fantásticas, do tipo, realizar uma cirurgia em um paciente a milhares de kilômetros, de um continente ao outro por intermédio do computador e pela internet. Ah!... Você sabe o que é o Doping genético? .... Acho que é para criar-se o Super-atleta. As cirurgias e os tratamentos por raio-lazer são fantásticos. Não? Os robôs já substituem o homem, na indústria e até para cirurgias de alta precisão. ... Por meio dos avanços tecnológicos, já podemos dispor de baços, medulas, ou córneas, tudo zerinho!!! Pessoas paraplégicas e tetraplégicas, já podem ler, escrever ou passar qualquer tipo de mensagem pelo computador, e assim reintegrar-se à sociedade. ... Já existe até o sexo virtual,... Bebês feitos em laboratórios e o cio induzido. Já pode se escolher o sexo do bebê, cor da pele, e do cabelo, altura, a inteligência. Somos beneficiados pela tecnologia, também somos vítimas dela... Animal clonado, e até clone humano. Cabelo e pele artificial. Alimento transgênico!... Isso é tecnologia de ponta!!! Bem lá da ponta!!! ... Ah! Você se lembra do ser andróide?... No Japão já existe a secretaria virtual. Você também já viu pela TV? Sabia que você pode ter um cachorro ou gato robô?... Tudo movido por controle remoto ou que funciona por comando de voz, ou por infravermelho. Conheço um homem que tem uma perna mecânica, que funciona com alta precisão. ... Ah!,.. sim!!! Por falar nisso, minha vizinha implantou seios siliconadamente melhores!!! ... Bem!... É o que dizem!... não sei!... Tem também um garotinho meio maluco, que depois de implantar um chip na cabeça, só tira nota dez na escola... Isso é tecnologia!... O resto é o resto!!! Arnaldo Leodegário Pereira

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Joaquim Ferrabraz e o pacto com o Capiroto... (causo) By Arnaldo Leodegário Pereira






Joaquim Ferrabraz e o pacto com o Capiroto... (causo) 

... Em um povoado beeeeeeemmmmm distante... depende de onde... ... Há muuuuuuiiiitos anos atrás... Morava o Sr Joaquim ferrabraz. Um sujeito desordeiro, mal-encarado e valentão. Ferrabraz mandava e desmandava naquele lugar. Brigava, batia, quebrava, fazia mil arruaças e estripulias. Diziam as más línguas que ele havia feito um pacto com o Demônio. Ele mesmo! O ”capiroto”. Que se o mesmo o livrasse de balas, quando ele (Ferrabraz) morresse,o Capiroto podia “colher” sua alma. Ferrabraz bebia e brigava, Batia e matava, ... e bala não o acertava... Certa vez, Ferrabraz abusou de uma senhora de uma família muito pacata e até religiosa que havia nesse lugar. Seu filho, o (filho dela), ao retornar do roçado, soube do acontecido, então jurou vingança. Sua mãe aconselhou-o a desistir daquela idéia, deixar essa ofensa de lado,... pois Ferrabraz tinha parte com o (“Cão”), ou seja tinha o “corpo fechado”, e bala não o acertava. Porem, o rapaz, manteve-se irredutível. Queria vingança a qualquer custo. Seu filho retrucou: -- Dessa vez quero ver se ele se livra de mim!... – Ele pode ter o corpo fechado, porém, um dia ele estará desprevenido! Sua mãe tentou por todos os meios fazê-lo desistir da idéia, pois Ferrabraz tinha mesmo o corpo fechado. Tonico (o moço). Olhou para sua mãe e jurou: ... -- Mãe!.. Esse homem vai ter o que merece! Quem deve a Deus paga a Deus!... Quem deve ao Dêmo já é seu freguês!... Tonico dirigiu-se até o quintal, e lá nos fundos havia um (tacho) antigo de cobre. Tonico pegou um machado e cortou a alça do tacho em sete pedaços iguais. Feito isso chamou sua mãe e disse:... -- Hoje vou quebrar-lhe o encanto, Sob a alça do meu tacho, o diabo não vence o Santo!... Em um arraial vizinho morava uma benzedeira, (Dona Luzia), que era muito conhecida e até famosa na região pelo seu poder de cura, através de benzimentos. Ela benzia todos os tipos de “mau olhado”, quebranto, espinhela caída, fraqueza, dor de dente, febre, quebraduras, e outros males que viessem a acometer as pessoas da região. Foi aí que o moço, (Tonico) recorreu aos préstimos dela. Tonico foi até lá e pediu que ela benzesse aqueles projéteis feitos com (alça) de tacho. Assim se deu por três sexta feiras seguido, sempre no horário das (dezoito)18 horas, que segundo uma tradição cristã, e a hora das Ave Marias, ou a “hora das trindades”, ou a “hora que os anjos dizem amém”,... e que tudo que for pedido ou pronunciado nessa hora, acontecerá. Tonico, tocaio-o escondido em um lugar à beira de um rio, e ao aproximar-se Ferrabraz foi alvejado por uma descarga de sete projéteis, de alça de tacho, que foi disparado da espingarda de Tonico. Ferrabraz tombou ferido mortalmente, e na sua agonia rogou para alguém que estava invisível:.. – Nosso trato falhou??? – Você prometeu me defender de balas, e não cumpriu sua parte!!! Uma voz vinda, não se sabe de quem, nem de onde retrucou: ... – Prometi livrar-te de bala, não foi de alça de tacho, não!.. (Uma parte desse causo é de (domínio publico), dos tempos do vovô Sílvério) . Este texto está registrado no Escritório de Direitos Autorais, e protegido pela lei nº 9.610/1998. Rio de Janeiro, em 11/11/2014. Arnaldo Leodegário Pereira

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Contradição? ou Hipocrisia? Para refletir!.. By Arnaldo Leodegário Pereira




Contradição? ou Hipocrisia? Para refletir!.. 

Todos criticam (malham) o camarada sonhador, porém incentivam, repetem a famosa ou (famigerada) frase: Lute! “Vá atrás da realização dos seus sonhos”! “Acredite em você”! “Acredite nos seus sonhos”!!! Só é politicamente correto o homem elogiar a mulher com a frase: -- Você está mais magra!... Um casamento de futuro supõe aquele que envolve dinheiro... Para a mídia (hipócrita) mau comportamento, maus exemplos, falta de educação e respeito... é sinônimo de (irreverência)... Muitos dos que estão bradando contra a violência, são os primeiros a praticá-la... Só é aceito pela sociedade quem tem dinheiro. Porém, não importa os meios como ele o ganhou!... Vale mais um canalha bem sucedido do que um trabalhador pobre!... Qual a diferença entre uma prostituta e uma garota de programa? R. A garota de programa é chic... A prostituta é pobre.... A (lei da palmada) não deixa os pais castigarem seus filhos. Porém esses mesmos filhos que a lei da palmada não deixou educar, podem ser espancados por policiais até a morte... “Lei da Palmada”. Os pais ficam proibidos de corrigir, educar seus filhos... Quando essas crianças crescerem; e então tornarem-se adolescentes rebeldes daqueles que não reconhecem e não respeitam a autoridade dos pais, professores e, das pessoas a quem eles deveriam ter respeito e obediência, e começarem a agredir pais, professores e colegas de escola, ou as demais pessoas, (ou seja) tornarem-se um problema para a sociedade). Provavelmente esses adolescentes irão fatalmente cair nas "mãos" da POLÍCIA, para aí sim completar aquela educação que os pais foram proibidos de dar. Então o "(cassetete)", irá substituir com "eficiência" a palmada. Será que o (cassetete), nesse caso é menos prejudicial do que a palmada? Se eu estiver errado aceitarei com resignação a punição que a mim for imposta. Menores não podem ajudar seus pais, mas podem (ficar soltos na rua) cheirando cola, fumando crack, e cheirando cocaína... Não é proibido crianças inocentes trabalharem? E o que dizer em favor daquelas criancinhas usadas nas cenas de violência nas novelas? A diferença é que aquelas crianças são bem pagas? E os possíveis danos psicológicos (futuros) para as mesmas? Marginal rico tem “desvio de caráter”, marginal pobre é bandido mesmo Pobre rouba! Rico pratica evasão de divisas... Guloso rico é glutão!... Guloso pobre é morto de fome mesmo.... Um adivinho (evangélico) é um profeta. Um adivinho (espírita) é um agoureiro, macumbeiro etc. As mulheres lutam pela ascensão da mulher, porém quando uma mulher chega à presidência, as próprias mulheres não a aceitam. “Mulheres posam de Top-less para protestar contra o turismo sexual”... Contradição??? Existem muitas ONGs combatendo o turismo sexual.... Então chega um Justin Bieber e com dinheiro leva quantas seu dinheiro pode pagar... Na contra-mão da era da valorização da mulher, (algumas) mulheres se oferecem (nuas ou semi nuas), na TV, a troco de “pipoca”.... (Na mídia), (algumas) Mulheres se vendem em programas de televisão... Quem pagar mais leva. O que se diz de cima do púlpito nem sempre é aquilo que se pratica fora dele!.. Logo prevalece a máxima que diz: “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”! “Santo de casa não faz milagres”! Amigos e familiares não te valorizam!..., Não acreditam, desprezam teu talento. Porém logo que vêem seu talento reconhecido por (outros) na televisão, vem todos te bajular e te falam a seguinte frase: -- Eu sempre falei que você ia vencer! -- Eu sempre disse que você tinha talento!... Mas... até agora eu só falei da hipocrisia alheia... Será que nesse momento eu não estou sendo hipócrita? E você leitor? Quer me fazer companhia? Vamos lá!... Eu falo da minha hipocrisia e você fala da sua!.. Afinal, hipocrisia é algo inerente ao ser humano! Logo: -- “Se somos humanos somos....”

Este texto está registrado no Escritório de Direitos Autorais sob o nº 618-350 Livro 1-186 Folha 234 Em14/10/2013.RJ. 
Arnaldo Leodegário Pereira.




lvre

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

SOBRE AS IDEOLOGIAS E O RESPEITO PELA DIFERENÇA* By Ana Sofia Carbalho



SOBRE AS IDEOLOGIAS E O RESPEITO PELA DIFERENÇA

Alguém saberá explicar-me - e sem querer com isto generalizar - porque razão a arrogância parece ser uma característica muito típica de quem se posiciona ideologicamente numa direita muito à direita?

Passo a explicar: acontece-me com frequência retirar-me de debates sobre os mais variados temas, por não ter pachorra, nem feitio, para responder a insultos e tomadas de posição arrogantes e reaccionárias por parte de quem se afirma de uma direita "pronunciada" ( chamemos-lhe assim), apresentando como dogmas as suas opiniões sobre certas questões, como Deus, o aborto ou a eutanásia.
Como se estes temas estivessem - por impossibilidade lógica e ontológica - vedados à discussão, ao debate e ao confronto de ideias, e a sociedade e a sua regulação não fossem sistemas em permanente devir!

Recuso-me a alimentar uma discussão em que do outro lado imperam uma atitude arrogante e misógina e um discurso agressivo e intolerante com a diferença.
Não será o objectivo de qualquer debate apresentar e discutir os diferentes pontos de vista com vista a reduzir as divergências e acentuar os pontos em comum?! Não será essa a forma normal ( e saudável) de funcionamento de uma democracia?! Ou também aqui estou a ser utópica?!

Seja como for, talvez seja por isso que sou de esquerda: pelo respeito que tenho por quem pensa ou é diferente de mim; pelo desejo que tenho ( e humildade) de aprender com as diferenças, valorizando-me e enriquecendo-me com elas. Donde a minha tendência para uma acérrima defesa da integração das minorias, da necessidade de protecção dos mais fracos e desprotegidos, da luta pela erradicação de toda e qualquer forma de descriminação; e tudo isto com base naquilo que considero ser o valor essencial da convivência humana: o absoluto e inexorável respeito pelo outro.

E estou certa que, excepções à parte, haverá quem, posicionando-se ideologicamente à direita, concorda comigo. Eu é que tenho tido muita falta de sorte...

ASC

REVOLUÇÅO PRECISA-SE: TRUMP E O RETROCESSO CIVILIZACIONAL* By Ana Sofia Carvalho




REVOLUÇÃO PRECISA-SE: TRUMP E O RETROCESSO CIVILIZACIONAL

 Neste momento, há milhares de pessoas a manifestarem-se no aeroporto JFK contra o decreto presidencial que suspendeu por 120 dias a entrada no país de todos os refugiados ( cujo acolhimento constitui um princípio básico de direitos humanos), bem como de cidadãos provenientes de sete países de maioria muçulmana, o que constitui outro atropelo gravíssimo à Carta de Direitos Humanos. É uma decisão política sem precedentes na História Mundial Contemporânea, chocante do ponto de vista da defesa dos princípios mais básicos (e incontestáveis ) do Direito Internacional, e cuja afronta não pode ser tolerada, seja qual for o pretexto, menos ainda por parte de um louco, ignorante e arrogante cowboy que a decadência socio-política geral ( que a sociologia designa por "anomia" ) permitiu fosse eleito como Presidente dos EUA. Palavra que votaria mil vezes no Zuckerberg que, não tendo (também) competência ou background político, é pelo menos superiormente inteligente e segundo esta notícia, uma pessoa decente. Não vivemos já nos primórdios do sec. XX, em que os ditadores cimentavam o seu poder dentro das fronteiras de um país à revelia do resto do mundo; hoje, a liberdade de expressão, associação e manifestação são altamente facilitadas pela tecnologia e pelas redes sociais, que têm de servir mais do que agendas meramente egoístas. Recupero, pois, o meu mote de há dois anos ( na altura a propósito da política interna portuguesa) - REVOLUÇÃO PRECISA-SE ! - para reafirmar a minha posição de repúdio de Trump e tudo o que ele representa. Vamos à luta Zuckerberg!
 ASC